5 de dezembro de 2008

FAVOS



 
Tela de Ruth Sharkey
 
Ah poeta, sei de mim,
das letras que pousam sobre o papel
como abelhas numa flor

Eu, mero apicultor
faço de favos - poemas
que retiro [qual abelhas]
do sumo do meu amor

05/12/2008

Ariadna Garibaldi

30 de novembro de 2008

Remédio


Tela de Kristan Le

na desigualdade dos sentires
ouvem-se as vozes do medo
profanam-se os segredos
mas os acordes do tédio
emudecem nos lábios
embevecidos de amor

30/11/2008

Ariadna Garibaldi

2 de novembro de 2008

Mandacaru florado


 





Eu te amo meu amor tão loucamente
que espero um milagre o tempo inteiro
eu te amo com amor tão verdadeiro
que o tempo não apaga nem consome
Entre lágrimas e risos esse amor
sobrevive às intempéries e saudades
é mandacaru arbóreo do sertão
que floresce e frutifica sol a sol
e se abre em alva flor na escuridão
não sucumbe ante a dor nem às maldades

01/11/2008

Ariadna Garibaldi


20 de outubro de 2008

Nossa primavera

Tela de Vidan



Sobre as flores que se abrem
transformando a paisagem
[feito camuflagem]
dos meus pensamentos

teço sonhos em mil versos
tatuados de verdades

colho as luas dos teus olhos
esculpidas num colar
cravejado de saudades


18/10/2008

Ariadna Garibaldi

27 de setembro de 2008

Bordado pra ti




Tela de Nerida de Jong



Bordo em afeto multicor
o meu tema predileto
em suaves raios
recoberto de saudades

ponteio em fio d'ouro
nos meus versos
o teu nome emoldurado
de um sentimento de amor

vivo por ti
e só a ti me rendo
em rendas e afagos
caseados de sabores

e nesse doce bordado
vou ornando o meu recado
que os tolos não entendem
pois só a ti é revelado

03/03/2008

Ariadna Garibaldi

17 de setembro de 2008

Sob o céu de tua boca




Sinto-te perto
e na poesia dos meus versos
embalo os meus desejos
na doçura dos teus beijos
devaneio enamorada
perdida sob o céu
de tua boca estrelada

16/09/2008

Ariadna Garibaldi


5 de setembro de 2008

Luzes e Sombras


Tela de Alberto Pancorbo



Sobre ti bailam segredos
luzes e sombras profundas
sons e silêncios sentidos
sonhos de amor mal vividos

Sobre ti valsam histórias
nuas em pelo, sem pejo
parecem mudas respostas
ao que guardas na memória

Sobre ti dançam verdades
pulsam junto ao coração
escondem-se em tua mente
sob as teias da razão

Sobre ti raios e trevas
alçam vôos de paixão
são teus medos e vontades
na eterna ilusão

Sobre ti repousa a vida
que em ti pulsa retida
como acorde dissonante
sufocado na canção

31/08/2008

Ariadna Garibaldi


7 de agosto de 2008

Alegria


Ilustração de Barbara Philip


Mora em mim uma alegria
que não morre e nem definha
não depende de razões

nem se atrela às circunstâncias

Mora uma alegria em mim

de um força sem medida

cuja intensidade é tanta

que rende por toda a vida

Mora em mim uma alegria
de raízes tão profundas

que me faz sorrir ao mundo

mesmo quando tudo é triste

Mora uma alegria em mim

que emana lá dos céus

cuja origem está em Deus

e que a tudo subsiste


06/08/2008


Ariadna Garibaldi
"A alegria do Senhor é a nossa força" (Ne 8:10)

1 de agosto de 2008

Ela...


Ilustração: VIDAN


Sensível privação
intelectual nocaute
debalde arrisca um pensamento
que como folha outonal
sucumbe ao abraço do vento
desmaiam as idéias
e no terror de uma lembrança
dança o ritual aflito
segura na garganta o grito
que eclode e se desfaz
e o que lhe causa dor
é ter o coração cheio de amor
porém vazio de perdão

01/08/2008

Ariadna Garibaldi

27 de julho de 2008

Flor Poética


Ilustração: Tela da querida amiga Deusa Costa




Flor Poética

Envolta em meus muitos devaneios
tomada pela doce flor poética
que exala fantasia

flutuo ao sabor do seu perfume
nas asas do meu lúdico sentir
entregue à poesia

e vivo eu assim a fazer versos
de tudo o que houver pra ser sonhado

e só deponho a minha pena

até que tenha - enfim -
a última palavra suspirado


25/07/2008

Ariadna Garibaldi

20 de julho de 2008

Ao meu melhor amigo




Quando da paixão
cessar a voz e o
doce som do riso
a alegria se esvair
e a dor for atroz
tudo for tristeza
pranto desmedido
olha pro teu lado
estarei contigo
eu serei para ti
o perfeito abrigo
tudo que se espera
do melhor amigo

20/07/2005


(Ariadna Garibaldi)





Tela de Andrew Hughes

16 de julho de 2008

Incondicionalmente




Não importa o quanto passe o tempo
não importa o acontecimento
eu te amo, meu filho!
Incondicionalmente
porque filho, é para sempre
e mãe também...

Não importa se haja paz ou guerra
ou se um cataclismo consuma a terra
eu te amo, meu filho!
Incondicionalmente
porque mãe, é para sempre
e filho também...

Não importa se haja riso ou dor
não importa se erres ou acertes
eu te amo, meu filho!
Incondicionalmente
porque amor de mãe, é para sempre
e de filho, também!

16/07/2008

Ariadna Garibaldi

15 de julho de 2008

O canto dos pássaros


Ilustração: Tela de Leida Nogueira

Gritou o silêncio
e ele surdo não ouviu
os seus pensamentos ruíam
mórbidos, estranhos
até que sem sentido
esvaziou-se do medo
desvencilhou-se do corpo
bradou livre a sua voz
que não saia da garganta
mas sim da alma
onde a tristeza era tanta
irrompeu a alegria
sem estardalhaços
nem fiascos
ao som das harpas
e do canto dos pássaros

14/07/2008

Ariadna Garibaldi

14 de julho de 2008

Selo de alma


Ilustração: Tela de Vidan
O amor é inesgotável
aspiração incansável
é chama que não declina

é fonte de poesia
uma doce sinfonia
que embala os sonhos meus

o amor não tem adeus
tem a cor dos olhos teus
é perene como um rio

É selo que me acalma
tatuado em minha alma
o meu amor tem teu nome

O meu amor é ainda
fogo que não consome
inspiração que não finda

13/07/2008

Ariadna Gariabaldi

13 de julho de 2008

O conto e o sonho

Ilustração: Tela de Kotiantz Gevork






Num conto esquecido
costurado em pontos tantos
há um sonho de mulher
em letras nada legíveis
palavras incompreensíveis
para quem não sabe amar...
e das linhas que se vê
entremeios e ponteios
caseados e ornados
estão os verbos grifados
e a desinência é você...

24/02/2006



Ariadna Garibaldi






9 de julho de 2008

Em pura liberdade


Sucumbe a minha alma em cativeiro
padece de uma dor que não maltrata
ri-se da morte que me não mata
é livre para amar-te por inteiro

cativa a esse amor que a arrebata
incólume porém enamorada
sem luta ou resistência se entrega
ao sentimento ardente que não nega

o dom que aprisiona e liberta
num ato de lirismo quase insano
confunde o que é santo e é profano
beatifica o amor alma poeta

mistura realidade e fantasia
acinte de paixão imerecida
nos átrios submersos da razão
na estrofe ritmada da poesia

09/07/2008

Ariadna Garibaldi

Ilustração: Tela de
Vidan

6 de julho de 2008

Construção



Construí
tijolo por tijolo
este edifício

argumentos sustentáveis
como vigas
paredes de idéias

verborragia poética
mas não acéfala

e na antítese dos sons
e harmonias
sintetizei o amor

06/06/2008

Ariadna Garibaldi


Mar em mim




Meu amor é assim
um mar de você
dentro de mim


18/05/2008

Ariadna Garibaldi


Tela de George Dmitriev

27 de junho de 2008

Despudoradamente





Abraça com volúpia
sem culpa ou desculpa
sem qualquer pudor

despudoradamente
sulca
a minha pele em brasa

abrasa esse amor
completamente lúdico
que eclode em esplendor

03/06/2008

Ariadna Garibaldi







25 de junho de 2008

Esse amor dá samba

Tela: Samba de PORTINARI (1956)


Quero dizer o que sinto
por você amor
venho cantar à paixão
que me transformou
antes eu era infeliz
hoje sou uma aprendiz
do que é felicidade
amar de verdade
o destino é quem diz

Quero dizer da razão
desse meu amor
que já não é ilusão
é vida em flor
antes estava perdida
hoje eu tenho guarida
sigo ao teu lado sorrindo
meu mundo é tão lindo
me encontrei na vida

E se você quer saber
tenho bem mais pra você
mas se você duvidar
posso lhe convencer

24/06/2008

Ariadna Garibaldi


24 de junho de 2008

Namorado é peixe de mar



Eu vou mergulhar no mar
em busca do namorado
no mar desse teu olhar
que me espreita com cuidado
e nas águas quero levar
os sonhos que tenho bordado
na barca do poetar...

12/06/2008

Ariadna Garibaldi

20 de junho de 2008

Tatuagem


(Tela de Roman de Blas)

Teu amor é tatuagem
que me desatina
eu mantenho a tua imagem
presa na retina
O meu rosto fica em festa
quando te aproximas
tá escrito em minha testa
e o tempo não declina:
Eu sou tua para sempre
e não me contradigas!

11/12/2007

Ariadna Garibaldi


19 de junho de 2008

A rosa



O texto a seguir trata de um fato real e foi escrito aos 14/02/2005 logo após o acontecido:

A Rosa


Hoje acordei com vontade de mar. Mesmo muito gripada e ainda sentindo a garganta doer, vesti meu biquíni e fui até a praia. Como é gostoso sentir o sol na pele... Havia muitas crianças brincando e várias pessoas faziam suas caminhadas. Preferi sentar-me sobre a canga, os trezentos metros que andei de minha casa até ali pareceram quilômetros. Não tenho me alimentado direito por causa da gripe. Fiquei avaliando minhas pernas... Cheguei à conclusão que pra alguma coisa a gripe ta me valendo, emagreci um pouco...
Estava assim imersa em meus pensamentos, quando senti alguém se aproximar. Levantei os olhos e era uma menininha, cabelos com lindos cachos loiros e um sorriso que invadia a alma e iluminava qualquer pessoa que tivesse a alegria de encontrar aquele anjo...
Retribui o sorriso e ela apontando o mar falou: -Ei, você ta vendo aquele barquinho lá longe? Respondi: -Estou sim! Ela tornou a falar: - Eles, estão pescando, vão chegar com um montão de peixe! Eu então perguntei: - É mesmo? E como você sabe? Ela então sentou-se ao meu lado e falou apontando para o nosso lado esquerdo: - O meu pai me falou. A poucos metros de distância estava um jovem casal. Eles nos observavam e a chamaram, mas ela respondeu: -Não, eu quero ficar aqui com ela, eu to conversano (forma como ela falou) Eu disse que poderiam deixá-la conversar comigo, eu tava gostando. Conversamos sobre as marias da praia (siris), sobre águas vivas, sobre as tartarugas que todos os anos deixam seus ovos em nossa praia e ficamos assim, por uma meia hora, até que seus pais a chamaram. Ela, claro, não queria ir embora. Mas foi, não sem antes protestar um bocado. Eu também já ia me levantar pra voltar pra casa, pois o sol começava a esquentar e meu corpo pedia uma ducha fria e cama. Então ouvi passos atrás de mim e uma voz de anjo a dizer: -Ada, Ada, Ada! Trouxe essa rosa pra você! Os pais logo atrás: -Desculpe, ela quando quer uma coisa é fogo, ela gostou de você. Em suas mãos uma flor amarela, cujo nome não sei, mas é uma flor silvestre, que nasce de uma plantinha rasteira que dá na nossa praia, plantinhas sob as quais as tartarugas cavam e deixam seus ovos. Suas mãozinhas pequenas, seguravam a flor e ela falou: -Ada, essa rosa é pra você não ficar triste, viu? Amanhã eu volto. Eu mal podia segurar as lágrimas, mas falei: Essa é a rosa mais linda que já vi. Obrigada querida. Ela ia me dar um beijo, argumentei que estou gripada, ela respondeu: -Eu também tô! Deu-me um beijo e se foi. Chegando em casa coloquei a pequena flor em um copo com água. A minha filha estranhando, perguntou: -Que arrumação é essa mãinha? Pra quê essa flor de praia num copo? Eu respondi: -Flor não, rosa! Essa é a mais linda rosa que já recebi na vida...

E esse foi o dia em que recebi de um anjo, uma rosa.

Ariadna Garibaldi
fydpuej59b

Aparência

Tela de Román de Blas Aparência O sorriso - algumas vezes - é apenas o disfarce das lágrimas que não chegam até a ...