5 de dezembro de 2008

FAVOS



 
Tela de Ruth Sharkey
 
Ah poeta, sei de mim,
das letras que pousam sobre o papel
como abelhas numa flor

Eu, mero apicultor
faço de favos - poemas
que retiro [qual abelhas]
do sumo do meu amor

05/12/2008

Ariadna Garibaldi

4 comentários:

  1. belo o seu poema!
    palavras assim tão simples mas tão profundas, trazendo paisagens, cores.....

    ResponderExcluir
  2. Oi Ariadna, voltei pra te dizer que deixei um selo do Prêmio Dardos pra você no meu blog Pontes Indestrutíveis. É só seguir as instruções! Beijo!

    ResponderExcluir

Aparência

Tela de Román de Blas Aparência O sorriso - algumas vezes - é apenas o disfarce das lágrimas que não chegam até a ...