1 de agosto de 2009

Cansei de ser certinha

Herder-AlluringDancer

Tela de Edwin Helder

 

Cansei de ser certinha

a irmã mais prestimosa
a mãe total, ardorosa
e a filha perfeitinha
quadradinha, previsível

a romântica incurável
poeta do amor impossível

depois de muito esperar
chegou enfim o momento
de apenas ser mulher
ser tocada, acariciada

descer do meu pedestal
crescer, escalar montanhas
saltar de algum para-quedas
me esbaldar no carnaval

quero errar, quebrar a cara
viver tudo o que é novo
aprender qual é o jogo
quero Vida - pra ser minha

qual cortesã ou rainha
eu quero apenas mudar...
Ser mais eu, correr os riscos

quero soltar o meu grito
dar vazão ao meu instinto
eu quero me liberar!

Já não ser assim certinha
nem igual a mais ninguém
mas sem amarras, mais solta
quem sabe assim ser feliz?

23/01/2007

Ariadna Garibaldi

4 comentários:

  1. É isso aí! Viver a vida é mto mais importante do que seguir regrinhas que ninguém nem nota. O pedestal pode ser uma idealogia, mas a vida acontece, mesmo, abaixo dele. Será que vale a pena continuar olhando a vida por cima?

    Abraços o/

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela visita e comentário, amigo, espero que volte a me visitar mais vezes!

    abços e ótima semana!

    ResponderExcluir
  3. Será o Direito
    que nos cobra
    ser tão certinhas? : )

    Beijo,
    doce de lira

    ResponderExcluir
  4. Taí algo a se pensar: Não sei se o Direito nos cobra ser certinhas ou se escolhemos o direito por sermos certinhas...

    Obrigada pela visita e comentário, volte sempre, será muito bem vinda!

    Beijos

    ResponderExcluir

Aparência

Tela de Román de Blas Aparência O sorriso - algumas vezes - é apenas o disfarce das lágrimas que não chegam até a ...