7 de agosto de 2009

Sou Tua

 

Vladamir-MuhinTela do pintor russo Vladimir Muhin  

 

Pelo avesso do avesso eu me guio
Guardo luto e visto cores no vazio
Se me porto qual vestal
Por castidade
É de amar-te e querer-te de verdade

Eu desprezo a avidez de puro cio
À minh’alma, basta o amor terno e sereno
Mesmo em face de desejos mais sombrios
Dispo os beijos
Colho olhares e me desvio

Eu sou vale interditado
Intransponível
Uma estrada proibida ao estrangeiro
E que possa eu sentir do amor o cheiro
É só teu o que recato

07/08/2005

Ariadna Garibaldi

5 comentários:

  1. "estrada proibida ao estrangeiro"

    SIM, aqui está o que considero uma pérola.

    Viva tu!


    beijos da El

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito daqui!
    Já estou seguindo.
    Bjo e paz.

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigada Talita! Fico realmente muito alegre por você gostar e mais ainda por seguir! Um lindo domingo pra você!

    ResponderExcluir
  4. Oi El!

    De fato esta frase é a síntese de todo o poema!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Ariadna, grata pela retribuição!
    "Nos seguimos", então! rsrs
    Ótimo domingo.

    ResponderExcluir

Aparência

Tela de Román de Blas Aparência O sorriso - algumas vezes - é apenas o disfarce das lágrimas que não chegam até a ...