16 de agosto de 2009

Uma rosa

rosa e livro

Tela de
Andrea Mancini

 

Uma rosa desfolhada
de pétalas perfumadas
jaz ali tola e sombria
sem ninguém que lhe sorria

as pétalas
fechadas num livro
enaltecem a saudade
lembram a rosa que um dia
era alvo de olhares
enfeitava fantasia

mas agora
suas pétalas
jazem nuas e vazias

26/06/2006

Ariadna Garibaldi

8 comentários:

  1. rosas [como pessoas
    nesta hora nada as difere...ao contrário...

    suave/forte,bem escrito

    beijos da El

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada, El! Só agora pude responder, passei o dia às voltas com a formatação do pc e instalação dos programas. Fico feliz demais com teu comentário!

    Beijos mil e uma semana de paz na presença de Deus!

    Ada

    ResponderExcluir
  3. Seu poema é um irresistível convite à reflexão. Mergulhei durante algum tempo na infinidade de leituras que ele oferece...

    Bonito demais, Ariadna!

    Bjs e inté!

    ResponderExcluir
  4. Seu comentário me deixou muito feliz, Ju! Você sabe quão gratificante é para um poeta saber que seu poema tocou a quem o leu ou ouviu. Obrigada pela leitura e pelo comentário que me fez sorrir.

    Beijos mil

    Ariadna

    ResponderExcluir
  5. poema com braços que me abraçaram a alma!!


    teu beijo

    ResponderExcluir
  6. Muito obrigada, Paradoxos! Teu comentário alegrou meu espírito; Bem vindo, sempre!

    Beijos

    Ariadna Garibaldi

    ResponderExcluir

Aparência

Tela de Román de Blas Aparência O sorriso - algumas vezes - é apenas o disfarce das lágrimas que não chegam até a ...