8 de abril de 2010

Reinvento-me

Borboleta

Tela de Elvira Battisti 

Risco e rabisco
caço cada palavra
pra me reinventar

junto todos os cacos
cato todos os ciscos
para não afundar

nesse meu alfarrábio
como fosse operário
a me reconstruir

redesenho a história
configuro a memória
e me despeço de ti

Ariadna Garibaldi

08/04/2010

2 comentários:

  1. De dentro de mim,
    dos sonhos que tenho
    e em minha solidão..

    Eu te vejo a poetar
    parecendo que rimar
    te trás a meu coração

    E do meu alfarrábio,
    mais tolo que sábio
    não pretendo sair...

    caminhante te achei,
    Deus, jamais pensei
    um dia te descobrir...

    Edu...

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Que delicadeza, muito obrigada, Eduardo, me sinto envaidecida e agradecida pela linda homenagem! Muito obrigada mesmo! :-))

    ResponderExcluir

Aparência

Tela de Román de Blas Aparência O sorriso - algumas vezes - é apenas o disfarce das lágrimas que não chegam até a ...